Loading...
Loading...

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Projecto de Monografia de fim de Curso

I. Introdução

A definição de políticas e estratégias de promoção de um desenvolvimento florestal sustentável e durável, respeitando a diversidade biológica, constitui uma tarefa que exige e requer o desenvolvimento de relações de equilíbrio entre o homem e o seu meio ambiente. Este equilíbrio só será possível se o homem possuir conhecimento exaustivo sobre a importância dos recursos florestais, tanto a nível da sua abundância e distribuição, como a nível da sua variabilidade espacial e temporal. Tais conhecimentos constituem elementos essenciais da tarefa de conservação, preservação e sua expansão, isto é, fazer uma gestão sustentável e durável dos recursos florestais, representa um imperativo em matéria de desenvolvimento económico e social sustentável, salvaguardando o equilíbrio do ecossistema.

1. Objectivos Gerais:
1.1. Contribuir para o melhor conhecimento da evolução do processo de florestação da ilha de Santo Antão - iniciando com a descrição da paisagem antecedente ao processo de florestação, passando pelas sucessivas fases até a paisagem actual;
1.2. Propor algumas acções e estratégias para uma gestão integrada, sustentável e durável dos recursos florestais, arbustivas e da vegetação herbácea adjacente.

2. Objectivos específicos:
2.1 Pesquisar e fazer menção a situação paisagística antecedente à cobertura vegetal e as sucessivas fases posteriores;
2.2. Elaborar um inventário dos principais recursos florestais existentes na ilha, sua variabilidade e distribuição no espaço, assim como a sua classificação e função;
2.3. Elaborar um diagnóstico das principais actividades económicas em curso e previstas para os próximos anos;
2.4. Em função dos resultados da pesquisa, propor um esquema de gestão integrado, sustentável e durável dos recursos florestais, mais voltado para as Associações Comunitárias, tendo em conta o peso demográfico (acção antrópica) e a utilização dos recursos florestais como fonte de energia, forragens para pastos e matéria-prima industrial (carvão e madeira), assim como a invasão nos perímetros florestais para recolha de ervas e arbustos para utilização na medicina tradicional.

3. Objecto de estudo
A Monografia tem como objecto de estudo a Floresta da ilha de Santo Antão e o seu impacto nas zonas adjacentes.

II. Justificativa
A importância da gestão dos recursos florestais representa um desafio hoje mais do que nunca, tendo em consideração o aumento da desertificação que está acontecendo por toda parte do mundo e Cabo Verde não foge a esse perigo. A promoção de um desenvolvimento florestal durável e sustentável é um desafio que deve ser integrado nos planos nacionais, regionais e municipais a curto, médio e longo prazo, procurando sempre que o crescimento demográfico e as necessidades humanas, em recursos florestais, não ultrapassem os limites suportados pela dinâmica desses recursos, ou seja, que o aproveitamento dos recursos florestais seja feito em moldes, e ritmo, que assegurem a sua sustentabilidade.

É assim que o sucesso da tarefa de promoção de um desenvolvimento florestal sustentável e durável depende, em grande parte, do nível de conhecimento que num dado momento se dispõe dos recursos florestais em termos da sua dinâmica e distribuição espacial e temporal. É nesta óptica que a gestão dos recursos florestais requer a sua prévia inventariação, estudo e caracterização, envolvendo o diagnóstico da sua situação, num determinado momento, e o estabelecimento de prognósticos sobre a sua evolução futura.

Com a presente proposta de trabalho pretendo situar-me no contexto do processo de florestação da ilha de Santo Antão, desde o período colonial, seguindo a sua evolução até actualmente, dividindo-o em fases. Pretendo com a minha pesquisa, contribuir para o melhor conhecimento do processo de florestação da ilha de Santo Antão, propor algumas acções e estratégias a terem em conta na sua gestão integrada, sustentável e durável. Tendo como base os trabalhos monográficos anteriormente realizados a esse respeito, os estudos técnicos realizados na ilha, principalmente pelos especialistas enviados no âmbito do projecto de cooperação Cabo Verde – Holanda na década de 80, as Leis florestais que servem de base legal para a cobertura vegetal e a sua preservação, da experiência própria adquirida ao longo de mais de duas décadas de trabalho na área prestado ao Ministério que tutela o Sector florestal na referida ilha (dos quais, desempenhando as funções de Técnico Florestal/Coordenador do Projecto de reflorestação das Zonas Áridas do Porto Novo (1992/93) e Coordenador das áreas de reflorestação e engenharia rural no INERF – Porto Novo (1993 a 2001). Nos últimos três anos (2001 a 2004) desempenhando funções na sede do INERF - Praia).

Ao longo do trabalho procurarei desenvolver e aplicar o essencial dos conhecimentos adquiridos na formação de Técnico florestal, na vida profissional e ao longo deste curso de licenciatura em Geografia, nas diversas cadeiras. Ao longo do trabalho, procurarei acrescentar eventuais avanços tecnológicos recentes na área, conseguidos durante a pesquisa.

III. Fundamentação
A Florestação da ilha de Santo Antão teve o seu início na década de quarenta do século passado, sofrendo logo de seguida uma paralisação para se reiniciar definitivamente nos finais da década de cinquenta e ganhar grande ritmo após a independência Nacional.

Essa florestação tem sido objecto de estudo de muitos técnicos nacionais e estrangeiros. Esses estudos estão registados em forma de monografias de fim de curso dos técnicos nacionais, estudos de especialização de técnicos estrangeiros e relatórios de actividades dos técnicos – cooperantes em actividade na ilha no âmbito do projecto de cooperação bilateral Cabo Verde – Holanda e das Delegações do Ministério de ambiente agricultura e pesca, que tutela os serviços da Silvicultura e pecuária

Dada a importância que a floresta representa, tenho trabalhado directamente ligado a ela, na ilha em estudo, desde a década de oitenta do século passado. É isso que me motiva a pesquisar muito mais sobre ela e apresentar as minhas pesquisas em forma de monografia. Nessa pesquisa as leis, que serviram de base para a cobertura vegetal, sua conservação e preservação, serão também analisadas.

IV. Metodologia
Atendendo a natureza do tema, e a situação geo-espacial, pretendo utilizar uma metodologia de trabalho distribuída em várias etapas e recursos à vários procedimentos, por forma a conseguir os objectivos preconizados. A metodologia consiste em: consulta de bibliografias, Estudos e Relatórios; entrevista e inquérito aos antigos moradores, Técnicos (pioneiros do processo) Florestais e trabalho de campo (observação directa dos Perímetros florestais da ilha).

A análise e tratamento dos dados, assim como a consulta à Internet coincidem com as outras fases de actividades, dada a sua natureza.

Os resultados serão apresentados em forma de tabelas, gráficos, mapas e modelos conceptuais, acompanhado das respectivas análises qualitativas. As conclusões terão grande peso nas análises, por isso deverão ser destacadas. Para terminar o trabalho, apresentarei algumas propostas e recomendações para uma gestão integrada sustentável e durável das florestas (feita tanto pelo o Estado, pelos privados, assim como pelas comunidades rurais) que, em função da pesquisa e do levantamento feitos, revelar mais adequada para a ilha.

V. Cronograma das fases de trabalho.

Etapa 1. Revisão bibliográfica
Esta etapa inicial será de aproximadamente três meses e deverá abranger boa parte da actividade de consulta de monografias, obras, estudos de trabalhos técnico-científico e revistas da especialidade, Relatórios, incluindo o recurso à informações disponíveis na Internet. Para o efeito, a consulta recai sobre as Bibliotecas da DGASP e a da sua Delegação em Santo Antão, a do MAAP, a Biblioteca Nacional, a da Assembleia Nacional e outras. As instituições nacionais e internacionais que, de forma directa ou indirecta, se encontram envolvidas em projectos de desenvolvimento florestal da ilha serão também consultadas.

Etapa 2. Elaboração da proposta do Projecto de Monografia.
Esta etapa terá duração de uma semana e servirá para elaborar a primeira versão da proposta do Projecto de Monografia de forma estruturada.

Etapa 3. Elaboração de entrevistas, questionários e Trabalho de campo
O trabalho de elaboração de entrevistas, questionários e inventariação no campo terá a duração de aproximadamente um mês e uma semana e será destinado, essencialmente, ao levantamento no terreno dos principais recursos florestais na ilha, sua variabilidade e distribuição. Essa etapa servirá para inteirar do seu cadastro e caracterização e a confirmação dos recursos pesquisados nas bibliografias consultadas.
Etapa 4. Tratamento e análise dos dados recolhidos
Esta fase terá a duração aproximada de seis meses e consistirá no tratamento e análise das informações recolhidas durante as fases 1 e 3.

Etapa 5. Redacção da 1ª versão da monografia.
A redacção e apresentação da primeira versão dos resultados em forma de monografia terão a duração de um mês.

Etapa 6. Correcções e apresentação da versão final da monografia.
Esta etapa terá a duração de aproximadamente um mês e servirá para corrigir os erros e apresentar a versão final do trabalho. Esse período será caracterizado por encontros frequentes com o orientador.

Etapa 7. Entrega e defesa da monografia.
Esta é a fase final do trabalho e terá a duração de aproximadamente um mês. Terminada a redacção e a sua devida encadernação, a monografia será entregue no respectivo Departamento. Posto isso, serão seleccionados e esquematizados alguns tópicos, gravuras e/ou mapas conceptuais para a exposição durante a sua apresentação e defesa.

7. Calendarização das actividades
Esta monografia será realizada no período de, aproximadamente, um ano, desde o início à entrega do documento final no departamento. A tabela seguinte apresenta, de forma resumida, a distribuição das actividades no espaço e no tempo (Tabela 1)

7.1-Distribuição temporal e espacial das actividades:

1-Consultas bibliográficas, Julho, Agosto e Setembro (Praia, Santo Antão);
2-Consultas à Internet, durante os trabalhos (qualquer lugar);
3-Elaboração da proposta do Projecto de Monografia, Outubro (Cidade da Praia);
4-Elaboração de entrevistas, questionários e trabalho de campo, Fevereiro / Março (Cidade daPraia eSanto Antão);
5-Análise e tratamento dos dados recolhidos, Outubro a Março (Cidade da Praia);
6-Redacção da 1ª versão da monografia, Abril (Cidade da Praia);
7-Encontros periódico com o orientador, Julho de 2004 a Junho de 2005 (Cidade da Praia -ISE);
8-Correcções e apresentação da versão final da monografia, Maio(Cidade da Praia -ISE);
9-Entrega e defesa da monografia, Junho (Cidade da Praia-ISE).

Bibliografia a consultar:

ASSUNÇÃO, C. Torre de. Geologia da Província de Cabo Verde. in: Curso de Geologia do Ultramar. JIU. Lisboa. 1968.
BEBIANO, J. Bacelar A. A Geologia do Arquipélago de Cabo Verde, comunicação ao serviço Geológico de Portugal. Lisboa. 1932.
CILSS/UNSO/FAO/CONSULTATION. The state of forestry in the Cape Verde Islands. Praia s/d.
CLUB DO SAHEL, Analise do Sector Florestal e Propostas, Cabo Verde. Praia, Outubro 1982.
CONSTANTINO, A.T. e colaboradores. (1978) Reconhecimento Agro-ecológica de Santo Antão.
DINIS, A. Castanheira; Carta de zonagem Agro-ecológica e da Vegetação de Cabo Verde. in: Garcia de Orta. Nº 1 e 2. Vol 8. 1986.
Estudos técnico-científico da área realizados na ilha de Santo Antão
GEP/MDRP, Relatório de execução do Programa de Actividades correntes e de investimentos de 1988. Praia, Maio 1989.
GONÇALVES…, Relatório de actividades (Missão silvícola)??? 1956,
GTI, Estudo sobre as potencialidades do desenvolvimento Pecuário em Santo Antão. Ribeira Grande, S.Antão, Setembro1994.
INIA/MDRP, Agronomia da Purgueira (Jatropha curcas L.). Praia, Março 1989.
MELLE, Van Gidion. (1991) Manual de espécies florestais do Planalto Leste…1991
MONTEIRO, P.; BARBOSA, Morais, Sousa. A., Primeiro congresso florestal de Cabo Verde. 1993.
MONTERIO, Pedro. Boa Vista, Trabalhos de fixação de dunas e de reflorestação realizadas em 1977 e perspectivas para 1978.
MOTA, António José. O processo de Reflorestação da ilha de Santo Antão (monografia para obtenção do grau de Técnico profissional 2º nível – Animação rural -Santo Antão). 1995.
ONU/FAO, « Développement et mise en valeur des ressources Forestiers », Cap Vert. Cap Vert, Décembre 1990.
ONU/FAO, Division Utilisation des Ressources Forestiers Rapport de fin de Mission. Luis A. Novoa. Cap Vert, Décembre 1991.
PAFT – Programa de acção Florestal Tropical (documento de orientação). DGASP, Praia, Julho 1992.
PAFT – Programa de acção Florestal Tropical (O Sector Florestal e a Macroeconomia do País). Cristina Duarte. Praia, Julho de 1993.
PAFT – Programme d’Action Forestier Tropical (Etude sur le marche des produits Forestiers en République du Cap Vert). Edgard Chrysostome Pinto. Avril, 1994.
PASQUIER, Emmanuel. Perspectives de valorisation énergétique des Plantations de Prosópis juliflora (Travail de fin d’études …en vue de l’obtention du grade d’ingénieur agronome orientation « Eaux et Forêts »
Prioridade à Terra (...). Junho de 1995.
Relatório da Missão ao Senegal de 14 a 21 de Março de 1989, por uma equipa coordenada por Isabel Spencer, Resp. da divisão de utilização dos recursos floreteais. Dakar, Março de 1989.
Relatório de actividade da Delegação da DGASP em São Vicente de 1994.
Relatórios Anual de actividades da Direcção dos serviços Florestais de 1990
Relatórios de actividades da Delegação da DGASP em Santo Antão de…
Relatórios de actividades da DGASP de 2000 - 2003…
ROCHA, Rosa. Contribuição para o conhecimento do processo de Reflorestação na Rep. De C. Verde (monografia para obtenção do grau de licenciatura – Lisboa). 1993.
Semedo, José Maria e BRITO, Arminda. Nossa Terra, Nossa Gente, Introdução a geografia de CaboVerde. Edição PFIE. Cabo Verde, Praia. Fevereiro de 1985.
SILVA, António Jorge. Revestimento Florestal da Ilha de Santo Antão (monografia para obtenção do grau de ex-curso médio – Holanda). 1985.
VAN DER ZEE, Voz J. H., Meter C. H. Propossol Projécto “Easter Upper Catchmets”. 1980.
…Outras bibliografias que se julgarem necessárias…

Nenhum comentário: